Meu carrinho de compras
Carrinho Vazio
Rastrear minha compra

Agar Baird Parker Base HIMEDIA Marca: HIMEDIA Modelo: AGAR-BPB-HIMEDIA Disponibilidade: Disponível em 90 dias úteis Referência: AGAR-BPB-HIMEDIA

Data de lançamento: 17/02/2021
Disponibilidade: Disponível em 90 dias úteis
0 Opiniões

Por:
R$ 646,60

R$ 594,87 à vista com desconto Depósito Bancário
ou 12x de R$ 66,75 com juros
 
Simulador de Frete
- Calcular frete
Calcular frete:
Descrição Geral

MARCA: HIMEDIA - MODELO: AGAR-BPB-HIMEDIA - PRODUTO: Agar Baird Parker Base HIMEDIA

APLICAÇÃO: O Agar Base Baird Parker é recomendado para isolamento e contagem de Staphylococcus coagulase-positivos de amostras de alimentos e outros materiais.

COMPOSIÇÃO:

  • Ingredientes Gr/L
  • Caseína Enzimática Hidrolisada: 10,00
  • Extrato de Cane Bovina: 5,00
  • Cloreto de Lítio: 5,00
  • Glicina: 12,00
  • Extrato de Levedura: 1,00
  • Piruvato de Sódio: 10,00
  • Ágar: 20,00
  • pH final (a 25°C): 7,0 ± 0,2
  • ** Fórmula ajustada, padronizada para se adequar aos parâmetros de desempenho**

PRINCÍPÍO E INTERPRETAÇÃO:

  • O Agar Baird Parker foi desenvolvido por Baird Parker a partir da formulação telurito-glicina de Zebovitz et al. para isolamento e contagem de Staphylococci em alimentos e outros materiais uma vez que este meio permite uma boa diferenciação de linhagens coagulase-positivas. Uma grande correlação tem sido encontrada entre o teste da coagulase e a presença de uma clara zona de lipólise no meio, que devido à lecitinase dos Staphylococci quebra a gema de ovo. Por outro lado, estudos mostram que quase 100% dos Staphylococci coagulase-positivos são capazes de reduzir o telurito (formando colônias pretas) enquanto outras linhagens de Staphylococci não são capazes. Este meio é menos inibitório para Staphylococcus aureus comparado com outros meios, mas ao mesmo tempo é mais seletivo comparado com os mesmos. O Agar Baird Parker foi oficialmente adotado pela AOAC Internacional e é recomendado pela USP para testes de limite microbiano. Recentemente, o Comitê ISO recomendou este meio para isolamento e contagem de Staphylococci.
  • A identificação de Staphylococcus aureus isolados pelo Agar Baird Parker deve ser confirmada pela reação da coagulase. O Agar Baird Parker também pode ser usado para detectar a atividade da coagulase ao adicionar fibrinogênio plasmático. O Suplemento Inibidor de Tripsina Fibrinogênio Plasmático (FD195) é dissolvido em 10mL de água destilada estéril e adicionado a 90 mL do meio derretido e estéril a temperatura de 45°C-50°C. Neste meio, colônias coagulase-positivas aparecem brancas a preto-acinzentadas circundadas por uma zona opaca devido à atividade da coagulase quando incubadas a 35°C por 24-48 horas. A redução do telurito é necessária devido à ausência da emulsão da gema de ovo. O resultado é um ágar translúcido com colônias de Staphylococci brancas a cinzas. Para análises quantitativas, selecione 20-200 colônias. Conte às colônias que parecem Staphylococcus aureus e faça o teste da coagulase. Descreva a quantidade de Staphylococcus aureus por grama de alimento. Smith e Baird Parker relataram que a adição de 50mg/L de sulfametazina ao meio inibe o crescimento e proliferação de espécies de Proteus.
  • A caseína enzimática hidrolisada, a digestão péptica de tecido animal e os extratos de bife, carne e levedura são as fontes de nitrogênio, carbono, enxofre e vitaminas. O piruvato de sódio não apenas protege de danos as células como também ajudam na sua recuperação, além de estimular o crescimento de Staphylococcus aureus sem alterar a seletividade do meio. O cloreto de lítio e o telurito de potássio a maior parte da microflora contaminante, exceto Staphylococcus aureus. O telurito é tóxico para linhagens diferentes de Staphylococcus aureus que utilizam a gema de ovo e confere uma cor preta às colônias. A glicina e o piruvato aumentam o crescimento de Staphylococcus. Com a adição de gema de ovo, o meio se torna amarelo e opaco. A adição de gema de ovo, além de favorecer o enriquecimento do meio, permite a identificação de colônias por detectar a ação da lecitinase. Uma zona clara e a formação de colônias preto-acinzentadas são diagnósticas para colônias Staphylococci coagulase-positivas. Após mais uma incubação, uma zona opaca pode se desenvolver ao redor das colônias e pode representar uma atividade lipolítica.
  • O meio de teste deve ser inoculado com o material a ser examinado (0,1 mL por placa de diâmetro 90-100mm) e incubado a 37°C e a primeira leitura deve ser feita entre 24-26 horas. As colônias de Staphylococcus aureus são pretas e brilhantes, com uma borda fina e branca rodeadas por uma zona clara. Incube a 37°C por mais 24 horas e faça o teste da coagulase nas colônias descritas acima que se desenvolveram na primeira incubação. As placas devem ser usadas no mesmo dia de sua preparação ou dentro de 48 horas para evitar a perda de definição nas zonas precipitadas. O meio basal, sem a adição da gema de ovo ou telurito, é perfeitamente estável. Colônias com organismos contaminantes podem digerir o halo de reação da coagulase. Outras bactérias podem crescer no meio, mas o teste bioquímico pode diferenciar os Staphylococci coagulase-positivos de outros organismos.

PROCEDIMENTO E PREPARAÇÃO DO MEIO DE CULTURA:

  • Dissolva 63 gramas em 950 mL de água destilada. Aqueça até ferver para dissolver o meio completamente. Esterilize autoclavando a 1atm de pressão a 121°C por 15 minutos. Resfrie a 50°C e adicione assepticamente 50 mL de Emulsão de Gema de Ovo concentrada (FD045) e 3 mL da solução estéril de telurito de potássio 3,5% (FD047) ou 50 mL da Emulsão de Gema de Ovo e Telurito (FD046). Se desejar, adicione o conteúdo reidratado de um frasco do Suplemento Sulfa BP (FD069). Alternativamente, um frasco do Suplemento Inibidor Tripsina Fibrinogênio Plasmático (FD195) pode ser usado em 90 mL de meio no lugar da Emulsão de Gema de Ovo Telurito (FD046) para teste da coagulase em Staphylococci positivos. Misture bem e dispense em placas de Petri estéreis.
  • Obs.: o cloreto de lítio é prejudicial. Evite o contato e a inalação dos vapores. Se houver contato com a pele, lave com água abundante imediatamente.

CONTROLE DE QUALIDADE:

  • Aparência: Pó de fluxo livre homogêneo na cor creme a amarelo.
  • Solificação: Firme comparável com um gel de 2% de Agar.
  • Cor e clareza do meio preparado: Meio base (basal): gel transparente a levemente opalescente cor amarela. Após a adição de gema de ovo e telurito: gel opaco cor amarela em placas de Petri.
  • Reação: Reação de solução aquosa a 6,3% p/v a 25°C. pH: 7,0 ± 0,2
  • pH: 7,10-7,50
  • Resposta da Cultura: Características da cultura observadas após uma incubação a 35-37°C durante 24-48 horas.

ARMAZENAMENTO E CONSERVAÇÃO: Armazenar o pó em temperatura ambiente (abaixo de 30°C) e o meio preparado entre 20°C e 30°C Usar antes da data de validade no rótulo.

REGISTRO ANVISA: Não se aplica

APRESENTAÇÃO / EMBALAGEM: Disponível em frasco

Formas de Pagamento
Ficha técnica
Código AGAR-BPB-HIMEDIA
Estoque 5
Modelo AGAR-BPB-HIMEDIA
Categoria Agar em pó desidratado
Marca HIMEDIA
Comentários

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

Produtos visitados